quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Amarello Amor

Assim que vi esse vídeo, minha reação foi de deslumbramento. Eu senti algo verdadeiro nessas palavras, que para mim, parecem ter sido escritas naqueles momentos super íntimos, feitas para nos inspirar:



O que existe além do que ja foi dito sobre o amor?
Toda minha vida pautada em amores que tive ou gostaria de ter
Falando sobre os que tive, também não tenho muito que dizer.
Amei e fui muito bem amada.
Mas foi um amor, um único amor, que veio cruzou minha vida, tocou minha alma e ficou marcado em minha pele.
Todos nos carregamos com nós uma história.
Aquela que só nos atrevemos a lembrar, quando d

urante a noite no escuro, encostamos nossas cabeças no travesseiro e o silêncio cala fundo.
Não importam os anos, certas coisas simplesmente permanecem.
Mas então, numa quinta-feira a tarde de um ano qualquer, tropeçamos nesse amor já supostamente esquecido.
Percebemos que amor igual não há e que aquela pessoa continua e continuará a ser nossa referência afetiva mais sincera e profunda.
Não é doença nem obsessão. Aliás não e nada, só amor. Amor dos bons, daqueles que são únicos e maravilhosos, que acontecem poucas vezes na vida das pessoas. Daqueles amores que ficam e que teremos que conviver com ele como algo concreto e parte de nossas vidas.
Que alma consegue atravessar a vida sem ter conhecido o amor e quem sabe, ter a sorte de ser correspondido?
Que vida vale a pena sem amor?
Nenhum sentimento é mais lindo profundo e transformador que o amor.
Só amor transcende e purifica, enlouquece e cura, invade, permanece, liberta e aprisiona.
Quando acontece é um som grave que penetra invade e permanece.
Não compliquem e nem elaborem o sentimento mais incrível e poderoso de todos.
Permitam que eles cheguem e se instale.
Porque o resto são bobagens meninos, bobagens.


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Decoração: Penteadeiras!


Um dia desses eu estava pensando em quanta coisa mudou na minha vida, olhei para o meu quarto e vi que ele continuava o mesmo, isso me deu uma aflição doida, botei na minha cabeça que ia mudar toda a decoração dele. Sabe quando você passa anos com as mesmas paredes? Pois é! Ele não mudou comigo - que era o que deveria acontecer - e me deu uma sensação de vida meio estagnada.
Com isso, pesquisando imagens de decoração, criei uma certa obsessão por penteadeiras com carinha bem vintage... Elas são simplesmente lindas, não ocupam muito espaço, e dá outra cara para qualquer quarto mais simples.



Eu olho para elas, e logo me lembram um cenário de filme antigo, com uma mulher se perfumando, hehe. Parece deixar qualquer ambiente impecável, né?!






Curtiram? :D


domingo, 10 de junho de 2012

Torto por linhas certas!


Todo mundo sabe qual é a coisa certa a se fazer. Ela geralmente se resume a respeitar a si mesma e enxergar o óbvio. Por exemplo: viver eternamente apaixonada por um ex-ficante não dá. Se ele nunca mais apareceu, é porque não quer nada com você e o ideal é esquece-lo, certo? Certíssimo!
Mas quem diz que a gente se resolve com isso? E a esperança, aquela que não morre nem com reza brava, onde fica? E aquele milagre que amamos esperar? Isso tudo leva a uma vontade danada de não resolver nada - falta o bom-senso para tomar uma atitude certa e a coragem para fazer a coisa errada. O problema é que não resolver nada freia - faz baliza e estaciona - nossa vida. 
O errado no caso da eterna apaixonada pelo ex-ficante é ir atrás dele, se declarar e ouvir da boca do cara um fora daqueles. Ou ficar com ele mais uma vez, vê-lo sumir novamente e se sentir humilhada no último.  E então chorar, passar noites sem dormir e comer todo dia um tiramissú para se consolar de ter procurado o maldito.
Olha, sei que é meio camicase, mas acho sinceramente que, quando não conseguimos de jeito nenhum fazer a coisa certa ( e quase nunca acertamos de primeira), o melhor é fazer a errada, aquele erro total e absoluto mesmo! Só que sem a esperança de que algo vá mudar. A ideia é tentar mais uma vez com a consciência de que vai quebrar a cara. Passar um batonzão vermelho, se olhar no espelho e falar: "Vou ali me estrepar". E voltar arrasada. Mas com aquela raiva (de si mesma) que dá combustível para finalmente encontrar o rumo.
Pode parecer sádico, mas fazendo o errado a gente se resolve melhor do que não fazendo nada. Sofre tudo para depois abrir espaço para as alegrias - e não fica presa à vida morna, ao mais ou menos. Não sei vocês, mas eu prefiro - em qualquer aspecto da vida - um não cruelmente sincero ao consolo de um "talvez" infinito.


Esse texto é da editora de comportamento da revista "Gloss", Sílvia Amélia.


domingo, 3 de junho de 2012

Primeira Tattoo!


Depois de um tempinho parado, o blog voltou \o/, com uma possibilidade que ronda minha cabeça, mas ainda tenho um certo medo, ou insegurança. Então hoje o post vai ser pra mim e para vocês que também querem fazer uma tatuagem, mas não está 100% segura.

1° Passo: Se você tem menos de 18 anos, converse com seus pais, e ouça o que eles tem a dizer. Alguns ainda tem um pouco de preconceito, então insista e prove que você é madura para tomar uma decisão assim tão "permanente".

2° Passo: Escolher um desenho/frase de acordo com você, sua personalidade, ou algo que é, ou foi importante e te marcou. Gente esse negócio de fazer a "tattoo do momento", "porque todo mundo tem", é furada. Pense em algo que você vá olhar daqui há vinte anos e vai se orgulhar, que tenha uma "história". Pesquise bastante.

3° Passo: Escolher um bom profissional. Isso é essencial, eu conheço pessoas que foram em um intuito de fazer um desenho e o resultado ficou completamente diferente do esperado. Procure referências, observe se o estúdio é bem direitinho, para não correr nenhum risco.

Eu separei algumas favoritas para mostrar para vocês:

















sábado, 21 de abril de 2012

Gotta have it!


O blog ganhou uma tag nova, - primeira, na verdade! - é que eu nunca quis rotula-lo, mas como eu sou nova nesse "negócio" ainda estou tentando deixa-lo mais legal possível! Então no "Gotta have it", vou postar as coisas mais legais que vejo por aí, vou tentar por onde achar, o preço e tal. 
Vocês já viram que o mustache (bigode em inglês) dominou tudo? Anéis, colares, sapatilhas, canecas, camisas... Agora tudo que eu vejo com o bigodinho eu não resisto. Conferem aí:





 O anel e o colar tem super parecidos na I love acessórios, a caneca eu achei na Zazzle, e tem vários modelos de bigodes diferentes. Lindos né!? 


Gostaram da tag!? :)



quinta-feira, 19 de abril de 2012

Como perder um cara em 10 erros de maquiagem!

Dia desses estava vendo alguns tutoriais de make no amadinho Youtube, quando me deparei com esse título, curiosa como sou achei esse vídeo super divertido mostrando 10 erros "fatais" na hora de sair para um encontro com um cara. Ele mostra a reação (da vítima) do cara ao ver as garotas tão... bom, tão bizarras...

PS: O vídeo é em inglês, mas dá pra entender direitinho, porque não tem diálogos. :)


                            


Eaí, qual o pior !? hehe


segunda-feira, 9 de abril de 2012

Essa nossa mania de Felicidade!


Tem coisa que começa a ser espalhada e pega. A gente não sabe bem quem começou, mas, quando nos damos conta, já estamos comprando a ideia. E algumas ideias fazem um estrago danado! Bom, sem mais enrolação: o que quero falar aqui é dessa necessidade de ser feliz. Muito feliz. O tempo todo.
Afinal, a vida é uma festa, podemos tudo o que queremos e precisamos aproveitar cada momento ao máximo, certo? Bom, não sei se é certo. O que sei é que é uma pressão danada, isso sim. Quem disse que precisamos se feliz o tempo todo?
Veja bem, não quero dizer que legal mesmo seria se a gente vivesse cabisbaixo, É muito mais gostoso se sentir bem do que se sentir mal.(...) 
O problema é que como você já deve ter percebido, não dá para ser feliz sempre. Na verdade, até meu priminho de 2 anos já deve ter notado isso - não é à toa que ele vive chorando. E aí a ideia do primeiro parágrafo, de que legal mesmo é ser feliz a toda hora acaba se transformando numa tan, tan, tan, taaaan... Numa armadilha.
Seja lá o que você entenda por felicidade, ela precisa de momentos de não felicidade para ser o que é. Se sabemos que a alegria é tão gostosa de ser sentida, é porque já experimentamos momentos de tristeza também. Ou simplesmente de tédio. E é por isso que , quando a alegria vem, queremos que ela esteja com a gente a cada instante. 
Não quero soar pessimista, mas não acredito num vale encantado chamado felicidade, que, depois de alcançado, fica com a gente para sempre. Mesmo que você considere (eu gosto de considerar) felicidade um estado interno, que nem sempre coincide com o que ocorre por fora de nós, nosso estado interno varia muito. Aliás, o mundo seria bem repetitivo se olhássemos para ele sempre com o mesmo olhar, não acha?
Mesmo o melhor dos trabalhos tem dias chatos. Um relacionamento ótimo pode ter seus dias de dúvidas ou marasmo. Podemos nos sentir feias, não precisamos estar afim de beijar nosso namorado sempre e podemos ter preguiça dos nossos amigos ás vezes... E tudo bem! (...)
Em vez de achar que tem alguma coisa de errada quando não estamos alegres, pode ser maravilhoso aceitar de braços abertos  essa não alegria e aproveitar para pensar um pouco na vida, fazer poesia ou, sei lá, não fazer nada! O que importa é: parar de nos recriminar porque não estamos sendo bem-sucedidas nesse projeto maluco de ser alegre o tempo todo. Até porque esse projeto, pelo visto, pode trazer mais tristeza do que alegria.


Esse texto eu retirei da revista Capricho, e foi escrito por Liliane Prata que é escritora e blogueira também. 


sábado, 31 de março de 2012

Mirror, Mirror!


Teve toda uma polêmica há umas semanas atrás sobre o peso de algumas modelos. Agora em Israel, as modelos terão que apresentar atestados médicos provando que não estão desnutridas. :O
Quando eu li a notícia eu pensei: Como elas podem achar bonito?", mas aí eu logo lembrei que isso é uma doença, muito triste por sinal, e então eu lembrei de um monte celebridades que passaram por esses transtornos alimentares. Aparentemente são felizes, bem sucedidas, mas por dentro existe uma coisa "morta" - sua auto-estima.
E é ela que nos faz levantar de cara amassada, olhar para o espelho e descobrir nossos traços mais bonitos, botar um vestido que você ache que pode dominar o mundo, usar um batom vermelho pra ficar em casa...
 A razão desse post é lembra-las que sempre irá existir pessoas maldosas, que não vão se importar se sua gordurinha a mais é saudável, e vão te tachar de gorda - de acordo com a opinião delas - ou se você é magra geneticamente, vão falar que você é doente.
Os distúrbios alimentares existem e isso tem que ser tratado seriamente. Mas quando se é saudável tente esquecer as más linguas à sua volta, experimente uma roupa que achava que nunca ia ficar boa - você pode se surpreender. Fique feliz ao se olhar no espelho e agradeça todos os dias por você ter o principal para viver, sua saúde.
Aqui vai um vídeo que com certeza vocês conhecem, Stupid Girls da Pink - é beem velhinho, eu sei - é super engraçado e tem tudo a ver com o tema:


terça-feira, 20 de março de 2012

The Lovely Rita Ora!

Se ainda não ouviram esse nome, se preparem, vocês ainda vão ouvir muito falarem de Rita Ora.
Ela está sendo produzida pelo rapper - e maridão de Beyoncé - Jay-Z e é a nova aposta do R&B. Com uma simpatia contagiante e uma linda voz Rita anda se destacando no mundo da música e até abrirá os shows da banda Coldplay - que adoroo! 

Amei a sua versão acústica de "Hey ya!":



Cover de "Somebody that I used to know":





Gostaram!?
Beijos :)


terça-feira, 7 de fevereiro de 2012


É com muita felicidade que faço minha primeira postagem no blog.
Agora eu finalmente pude cria-lo e me dedicar a ele, espero que gostem e se divirtam aqui.
É um pedacinho de mim que eu sempre quis mostrar pra todo mundo e agora é uma realidade...
Aqui eu vou postar minhas inspirações de moda, make, comportamento e feminices á parte - hehe.

Espero que amem, Beijos.